terça-feira, 8 de maio de 2012

Raio X das Provas do ENEM

Pessoal: análise das provas do ENEM pelo site da VEJA. Confiram em http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/raio-x-do-enem-confira-os-conteudos-mais-cobrados

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Redação: Competência 5

Competência V
Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, demonstrando
respeito aos direitos humanos
. Nesta competência, procura-se avaliar as possíveis variáveis para solucionar a situação-problema apresentada: a(s) proposta(s) solidária(s) de intervenção do participante, a qualidade e a relação de suas propostas com o projeto desenvolvido por ele sobre o tema, respeitando os direitos humanos. Quando o participante elabora propostas que ferem, de maneira explícita, os direitos humanos, o texto é desconsiderado (D) com base nesta competência.
A avaliação desta competência é desdobrada nos seguintes níveis e respectivos critérios:
1. Elabora proposta precariamente relacionada ao tema, respeitando os direitos humanos.
O nível 1 indica que houve pouca compreensão do tema e que a proposta apresentada apenas o tangencia.
2. Elabora proposta razoavelmente relacionada ao tema, mas não articulada ao texto desenvolvido, respeitando os direitos humanos.
O nível 2 indica textos que apresentam proposta relacionada ao tema, mas sem vinculação ao texto desenvolvido.
3. Elabora proposta bem relacionada ao tema, mas pouco articulada à discussão desenvolvida no texto, respeitando os direitos humanos.
O participante preocupa-se em elaborar proposta explícita para a problemática discutida, no entanto ela resulta pouco articulada à discussão.
4. Elabora proposta bem relacionada ao tema e bem articulada à discussão desenvolvida no texto, respeitando os direitos humanos.
O participante elabora proposta explícita para a situação-problema e articula-a coerentemente à discussão.
Obs: Nos níveis 1 e 2, as propostas ficam por vezes subentendidas, isto é, podem ser inferidas pelo leitor sem que tenham sido explicitamente desenvolvidas pelo participante. Nos níveis 3 e 4, verifica-se a preocupação de o autor elaborar roposta efetiva para o tema discutido.
(Fonte: Relatório Pedagógico ENEM 2007)

Redação: COMPETÊNCIA IV

Competência IV
Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a
construção da argumentação Nesta competência, avaliam-se os recursos coesivos Empregados na modalidade escrita, com vista à adequada articulação dos argumentos, fatos e opiniões selecionados para a defesa do ponto de vista sobre o tema proposto.

Os mecanismos coesivos são os responsáveis pela construção da argumentação na superfície textual. Assim, é avaliado o uso dos seguintes mecanismos: coesão lexical (uso de sinônimos, hiperônimos, repetição, reiteração, etc.); coesão gramatical (uso de conectivos, tempos verbais, pontuação, seqüência temporal, relações anafóricas,conectores intervocabulares, intersentenciais, interparágrafos, etc.).
Para avaliar esta competência, são considerados os seguintes níveis e respectivos critérios:
1. Articula precariamente as partes do texto.
A estrutura de superfície típica do nível 1 é a justaposição de palavras e frases pouco relacionadas, deixando o estabelecimento da coesão a cargo do leitor.
2. Articula razoavelmente as partes do texto, apresentando problemas freqüentes na utilização dos recursos coesivos.
O texto de nível 2 indica uma grande dificuldade do produtor na utilização da modalidade escrita; mesmo que tente articulá-lo, esbarra em problemas não solucionados durante a escolarização. O participante demonstra não ter conseguido incorporar à sua produção textual as regras que regem a articulação do texto formal.
3. Articula bem as partes do texto (ainda que apresente problemas pontuais na utilização dos recursos coesivos).
O texto de nível 3 demonstra domínio dos mecanismos de coesão, embora apresente ainda alguns desvios com relação à utilização desses mecanismos.
4. Articula muito bem as partes do texto (ainda que apresente eventuais deslizes na utilização de recursos coesivos).
O texto típico do nível 4 indica que o produtor tem plena autonomia com relação à
utilização dos mecanismos coesivos da norma escrita culta, ainda que possa apresentar um ou outro deslize.
Obs: Os níveis 1 e 2 indicam textos semelhantes aos destacados nos níveis 1 e 2 da competência I. Os produtores desses textos apresentam grande dificuldade em registrar por escrito suas idéias em situação formal. Em relação aos níveis 3 e 4, comprova-se domínio dos mecanismos de coesão.

Redação competência 3

Competência III
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista Nesta competência espera-se que o participante, em uma situação formal de interlocução, saiba selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos,opiniões e argumentos pertinentes para defender sua perspectiva sobre o tema proposto
.

O que será avaliado nos textos produzidos é a coerência na seleção, organização e exposição dos argumentos para a defesa de ponto de vista em relação ao tema e ao projeto de texto desenvolvido, de acordo com os seguintes níveis e respectivos critérios:
1. Apresenta informações, fatos e opiniões precariamente relacionados ao
tema.

O nível 1 indica textos com problemas de coerência decorrentes da maneira como as informações, fatos e opiniões relacionam-se entre si ou com o tema; ou problemas de coerência de textos que, explicitamente, procuram adequar ao tema proposto o projeto desenvolvido para outro tema (caso comentado na competência II, nível 1). Neste nível não há seleção de argumentos.
2. Apresenta informações, fatos e opiniões razoavelmente relacionados a um embrião de projeto de texto e/ou limita-se a reproduzir os elementos fornecidos pela proposta de redação.
O nível 2 indica textos que apresentam uma estrutura fragmentada ou circular, com eventuais contradições; também se aplica a textos que se limitam a reproduzir ou a parafrasear os argumentos, fatos e opiniões constantes da proposta de redação.
3. Seleciona informações, fatos, opiniões e argumentos, relacionando-os ao seu projeto de texto. O nível 3 indica textos realizados a partir de um projeto pessoal, com boas seleção e interpretação de informações, fatos, opiniões e argumentos que resultam bem relacionados a esse projeto.
4. Seleciona, interpreta e organiza informações, fatos, opiniões e argumentos,
estabelecendo uma relação produtiva entre essa seleção e seu projeto de
texto.

O nível 4 indica textos realizados a partir de um projeto pessoal, com excelente seleção, interpretação e organização de informações, fatos, opiniões e argumentos que se relacionam de forma producente a esse projeto. Observa-se que a seleção de elementos feita pelo participante contribui para a defesa coerente do ponto de vista destacado no seu projeto de texto.

Competência 2

Competência II
Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
A competência II tem o eixo na compreensão do tema, a respeito do qual se pede
uma reflexão por escrito, sob a forma de texto dissertativo-argumentativo. Na dissertação,o enunciador apresenta explicitamente sua opinião, valendo-se do recurso dos argumentos de apoio para comprovar suas hipóteses e tese e assegurar o desenvolvimento de seu projeto de texto.
Esta competência envolve dois grandes momentos: o da leitura/interpretação da proposta e o da compreensão transposta para o projeto de texto. O participante deve exercer simultaneamente o papel de leitor da proposta e produtor/leitor de seu próprio texto.
Os critérios de avaliação da competência procuram verificar o desempenho do participante em uma situação formal de interlocução em que determinado tema é discutido. Devem ser considerados os aspectos:
a) relativos ao tema (compreensão da proposta e desenvolvimento do tema a partir de um projeto de texto);
b) relativos à estrutura do texto dissertativo-argumentativo (encadeamento e progressão temática).
O texto que não desenvolve o tema proposto ou que não se enquadra no tipo solicitado (dissertativo-argumentativo) será “Desconsiderado”, em virtude de o participante não ter compreendido a proposição (quanto ao tema ou à tipologia) ou ter decidido produzir outro texto (quanto ao tema ou à tipologia).
Na avaliação desta competência, levam-se em conta os seguintes níveis e respectivos critérios:
1. Desenvolve tangencialmente o tema em um texto que apresenta características do tipo de texto dissertativo-argumentativo; ou apresenta embrionariamente o tipo de texto dissertativo-argumentativo (sem “fugir” do tema).
Considera-se tangencial o texto que se aproxima apenas por generalidades do tema
proposto ou o texto resultante da adaptação forçada de um projeto de texto ao tema
selecionado para a redação. Alguns casos podem apontar textos preparados previamente à realização da prova.
Outro caso de atribuição do nível 1 é a apresentação de uma argumentação mínima (embrionária) inserida num texto de outra natureza (tal como carta e narrativa),diferente da estrutura dissertativa proposta.
2. Desenvolve razoavelmente o tema, a partir de considerações próximas do senso comum ou por meio de paráfrases dos textos-estímulo e domina precariamente ou razoavelmente o tipo de texto dissertativo-argumentativo.
O nível 2 indica a presença de um texto construído com base em considerações próximas do senso comum, com pouca reflexão do participante e muita repetição de chavões e clichês; a estrutura é pouco encadeada e sem progressão. Neste caso, o participante revela ausência de projeto e demonstra tentar discutir o tema à medida
que vai escrevendo.
3. Desenvolve bem o tema, mesmo apresentando argumentos previsíveis, e domina bem o tipo de texto dissertativo-argumentativo, com indícios de autoria.
O nível 3 indica um bom desenvolvimento do tema, como conseqüêncsia de sua correta compreensão, ainda que com argumentos previsíveis que não impedem, contudo, o surgimento de indícios de autoria. Evidencia-se um bom domínio das técnicas dissertativo-argumentativas.
4. Desenvolve muito bem o tema, a partir de um projeto pessoal de texto e de um repertório cultural produtivo; domina muito bem o tipo de texto dissertativo-argumentativo.
Este nível indica o desenvolvimento seguro e autônomo do tema, a partir de um repertório cultural producente e de considerações que fogem ao senso comum. O domínio da estrutura dissertativo-argumentativa é muito bom. O projeto de texto do participante define-se com base na compreensão plena da proposta e é desenvolvido segundo a articulação de diferentes perspectivas para a defesa do ponto de vista. Revela ainda marcas de autoria.
(Fonte: Relatório Pedagógico ENEM 2007 - INEP)

Redação: COMPETÊNCIA 1

Cada competência foi avaliada à luz de quatro critérios correspondentes aos conceitos insuficiente, regular, bom e excelente, convertidos, respectivamente, em níveis 1, 2, 3 e 4.

Competência I
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita Espera-se que, nesta Competência, o participante escolha a variedade lingüística adequada à situação formal de produção de texto escrito. Na avaliação, devem ser considerados os conhecimentos de língua escrita representados pela utilização da norma culta: Adequação ao registro (escolha da variedade lingüística adequada ao tipo de texto e à situação formal de interlocução); obediência à norma gramatical (sintaxe de concordância, regência e colocação, pontuação, flexão) e às convenções da escrita (ortografia, acentuação, maiúsculas/ minúsculas etc.).

Na avaliação desta competência levam-se em conta os seguintes níveis e respectivos critérios:
1. Demonstra conhecimento precário da norma culta: inadequação na escolha da variedade lingüística, graves e freqüentes desvios gramaticais e transgressões inaceitáveis das convenções da escrita. Neste nível o participante emprega expressão muito próxima da modalidade oral e registro inadequado à proposta da prova; demonstra inadequação vocabular; revela conhecimento precário das normas gramaticais e das convenções básicas da escrita.
2. Demonstra conhecimento razoável da norma culta: problemas na escolha da variedade lingüística; desvios gramaticais e transgressões das convenções da escrita pouco aceitáveis nessa etapa de escolaridade. Considera-se como “pouco aceitável” o uso que constitua desvio da sintaxe de concordância, regência e colocação, da pontuação e da flexão.
3. Demonstra bom domínio da norma culta (ainda que com pontuais desvios gramaticais ou transgressões pontuais das convenções da escrita). Espera-se que o participante empregue um léxico produtivo, ortografia e pontuação pertinentes, demonstre um bom domínio da sintaxe e das regras de flexão. Neste nível podem ocorrer alguns desvios em relação à norma escrita culta.
4. Demonstra muito bom domínio da norma culta (ainda que com um ou outro
deslize relativo à norma gramatical ou às convenções da escrita).
O nível 4 é atribuído a textos em que o produtor tenha plena autonomia com relação à utilização da norma escrita culta, ainda que possa apresentar um ou outro deslize.